Porto de Suape cerca Parque Metropolitano Armando Holanda

O Parque possui 130 hectares e integra a Zona de Proteção Ecológica (ZPEC) de Suape.

Com o objetivo de preservar o patrimônio histórico do território de Suape, a Administração do Complexo Industrial Portuário concluiu o cercamento de uma área de 130 hectares do Parque Metropolitano Armando Holanda (PMAH), no Cabo de Santo Agostinho. A iniciativa delimita com 6 km de cercas o Sítio Histórico Cabo de Santo Agostinho, tombado pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco – Fundarpe. Denominado de “Polígono de Proteção Rigorosa do Parque”, estão localizados na área o Convento e a Igreja de Nossa Senhora de Nazaré, construídos no século XVI e a Casa do Faroleiro construída em meados do século XIX.
Para o vice-presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Bernardo D’Almeida, o cercamento é uma ação fundamental para que sejam controladas e evitadas invasões na área, assim como a consequente depredação do patrimônio cultural e degradação do meio ambiente. “O desenvolvimento sustentável é uma das premissas do Complexo de Suape, que cresce sem esquecer o social, cultural e está sempre preocupado em proteger o meio ambiente. A delimitação dessa área do Parque mostra a presença de Suape, além de conter as ocupações e a especulação imobiliária ilegal, com pessoas vendendo terrenos que não lhes pertence”, detalha.
Em paralelo, foi iniciado o processo de proteção e cercamento do Engenho Tiriri, com a instalação de 5,5 km de cercas, localizado às margens da PE-28 em direção a Gaibu. O local integra a Inspeção Cercamento PAH  - Crédito Jéssica Lima Até o início deste ano, Suape já restaurou 1.150 mil hectares do seu território. Este é um dos maiores projetos de reflorestamento do país, de acordo com o Pacto de Restauração da Mata Atlântica, ao qual a empresa aderiu em junho de 2011.

Categorias
PortosResponsabilidade Ambiental
Sem comentário

Deixe uma resposta

*

*

Categorias

RELACIONADO