Grupo Dislub Equador apresenta ao Nordeste 1ª gasolina ecoaditivada do Brasil

A Duramais traz uma economia de combustível de até 10% e polui até 50% menos.

O Grupo Dislub Equador lançou no dia 22 de maio no Recife (PE), a Duramais,  uma gasolina ecoaditivada fabricada com a tecnologia GreenPlus. O novo produto já começou a ser comercializado em alguns postos da rede Dislub em Pernambuco e no Amazonas.  O objetivo é levar, gradativamente, o combustível a pelo menos 100 postos do Nordeste neste semestre.

Para o sócio-diretor do Grupo Dislub Equador, Humberto do Amaral Carrilho, “essa nova tecnologia criará uma revolução no mercado, pois a Duramais funciona como um catalisador capaz de reduzir em até 50% o índice de poluentes presentes nos combustíveis fósseis”.

Desenvolvido na Califórnia, nos Estados Unidos, pela Biofriendly Corporation, ela tem nanotecnologia GreenPlus que reorganiza as moléculas de combustível, agilizando o processo de combustão. “Com a otimização da combustão, acontece um aumento na sua eficiência fazendo a gasolina render até 10% mais e sobrando menos partículas que seriam lançadas no meio-ambiente”, afirma Carrilho.

O produto já recebeu a ecoetiqueta da ONU por estar alinhado aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) previstos na Agenda 2030.

O combustível Duramais virou política pública na Colômbia e já está sendo utilizado no transporte público da Alemanha, em postos nos Estados Unidos e Argentina, em países na Europa, Ásia e Oriente Médio. Além de estar presente em frotas de caminhões e navios.

Carros leves lideram emissões de dióxido de carbono no meio ambiente

De acordo com relatório Situação global do Transporte e Mudança Climática Global, apresentado na 24ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 24), em Katowice, na Polônia, o setor de transporte contribui com um quarto das emissões globais de gases de efeito estufa e, desde 2000, as emissões provocadas pelos transportes cresceram de 5,8 gigatoneladas de CO2 em 2000 para 7,5 gigatoneladas em 2016, volume 29% maior. O relatório foi elaborado por mais de 40 organizações internacionais que atuam em favor de transportes sustentáveis e de baixo carbono.

Os carros leves lideram as emissões de dióxido de carbono (CO2) com 45% do volume emitido. Em seguida, estão os caminhões, com 21%; aviões e navios, com 11%; ônibus e micro-ônibus, com 5%; triciclos e motocicletas, com 4%; e trens, com 3%. Ainda segundo o relatório, as emissões de carbono aumentarão de 40%, em 2015, para 56% a 72% em 2050. Os países em desenvolvimento, 29 entre os 40 pesquisados, serão responsáveis pela maior parte do aumento das emissões de carbono do setor de transporte.

Uma das mensagens da COP 24 defende que as empresas do setor privado não devem mais ser vistas apenas como culpadas pelas emissões de gases causadores do efeito estufa, mas como parceiras indispensáveis para ação climática. Novas tecnologias e modelos estão transformando o setor privado para que líderes empresariais não tenham mais que escolher entre lucrar e cuidar melhor do planeta.

 

 

Categorias
Óleo e Gás
Sem comentário

Deixe uma resposta

*

*

Categorias

RELACIONADO